Bem vindo! Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017 - 00:40     --   Pesquise no Site                   E-mails da Prefeitura              Telefones da Prefeitura             Facebook   Twitter
Prefeitura Municipal de Manduri
Rua Bahia n: 233 - Centro
CEP:18780-000 - MANDURI/SP
Horário de atendimento:
das 08:00 as 17:00h
e-mail: contato@manduri.sp.gov.br

Contratos e Licitações

Contas Públicas

Recursos Humanos

Balanços



Segunda-Feira
23 de Outubro de 2017 - 00:40

Portal SIC

Portal de Transparência

Portal de Colaborador

Emissao de Nota Fiscal Eletronica

VAF - Dipam

Visite o Site da Câmara Municipal de Manduri

Voltar

LEI Nº 1.848/2014 - AUTORIZA O PODER EXECUTIVO A FIRMAR CONVÊNIO COM O CENTRO DE CONVIVÊNCIA DE MANDURI - CECOMAN

 
  LEI Nº 1.848/2014                                                                                 
 
Autoriza o Poder Executivo a firmar convênio com o Centro de Convivência de Manduri – CECOMAN, visando o atendimento de 77 (setenta e sete) crianças do Município de Manduri.
 
 
O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE MANDURI, ESTADO DE SÃO PAULO, no uso das atribuições que lhe são conferidas por Lei, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona e promulga a seguinte Lei:
 
Art. 1º. - Fica o poder executivo autorizado a firmar convênio com o Centro de Convivência de Manduri “José Luiz Muller de Godoy Pereira” – CECOMAN, associação civil de assistência social sem fins lucrativos, com sede em Manduri/SP, na Rua Bahia nº 103 - Centro, inscrita no CNPJ sob nº 57.263.923/0001-53, destinado ao atendimento de 77 (setenta e sete) crianças que necessitam de acompanhamento e atençãoem contra turno escolar, tendo como proposta de sociabilização dos mesmos.
 
Art. 2º. – O convênio a que se refere o artigo 1º estabelecerá como obrigações e competência das partes:
 
I – Da Prefeitura:
a)         Repassar ao Centro de Convivência de Manduri “José Luiz Muller de Godoy Pereira” – CECOMAN, recursos financeiros destinados á manutenção da entidade em razão da acolhida de 77 (setenta e sete) crianças do Município de Manduri, no valor de até       R$ 132.000,00 (cento e trinta e dois mil reais) ao ano, que serão pagos em até 12 (doze) parcelas mensais de R$ 11.000,00 (onze mil), com recursos do “TESOURO F1”, conforme previsão orçamentária e dentro da disponibilidade financeira;
b) O repasse de recursos financeiros á Entidade será realizado durante o exercício de 2015;
c) Cada liberação estará condicionada à aprovação pelo concedente, da Prestação de Contas referente ao mês anterior, na forma estabelecida pelas Instruções do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo;
d) Receber e examinar as Prestações de Contas apresentadas e emitir parecer conclusivo anual;
e) Assinalar prazo para que a Entidade adote as providências necessárias ao exato cumprimento das obrigações sempre que se verificar alguma irregularidade, podendo a concedente suspender, por iniciativa própria, novas concessões aos inadimplentes.
 
II – Da Entidade:
a) Executar todas as ações, tarefas e atividades inerentes ao objetivo do projeto de acordo com o Plano de Trabalho apresentado;
b) Gerir os recursos financeiros repassados pelo Município através de conta bancária especifica para movimentação exclusiva deste;
c)Encaminhar mensalmente à Prefeitura Municipal de Manduri a Prestação de Contas, acompanhada de documentação para comprovação das Receitas e Despesas referentes aos recursos recebidos, em conformidade com as Instruções do Tribunal de Contas do Estado de são Paulo;
d) Manter a contabilidade, os procedimentos contábeis, bem como, a relação nominal dos atendidos, atualizado e em ordem, sempre a disposição dos agentes públicos responsáveis pelo controle interno e externo, de forma a garantir o acesso às informações da correta aplicação e utilização dos recursos financeiros recebidos.
e) A Câmara Municipal e o Executivo Municipal deverão ser comunicados das reuniões ordinárias e extraordinárias da entidade, com antecedência mínima de 24 (vinte e quatro) horas.
 
Art. 3º. –Os recursos a serem repassados serão oriundos da seguinte dotação orçamentária em vigor:
 
02.00.00 – Poder Executivo
02.02.00 – Departamento de Assistência e Desenvolvimento Social
02.08.01 – Fundo Municipal de Assistência Social
08.244.0005.2.2032 – Manutenção do Depto de Assistência Social
3.3.50.43 – Subvenções Sociais
Fonte de Recursos – TESOURO F1
 
Art. 4º. –A Entidade prestará contas ao Município da seguinte forma:
I –Prestação de Contas Mensal acompanhada de cópia dos documentos comprobatórios das Receitas e Despesas dos recursos recebidos;
II – Elaborar o demonstrativo integral das receitas e despesas computadas por fonte de recursos e por categoria ou finalidade de gastos, aplicados ao objeto do ato concessório, conforme das Instruções do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo;
III – Relação dos documentos das despesaspagas, computadas na prestação de contas conforme modelo constante das Instruções do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo;
IV – Indicar no corpo dos documentos originais das despesas, o numero da norma autorizadora do repasse e o órgão público concessor a que se refere, extraindo-se, em seguida, as cópias autenticadas que serão juntadas na prestação de contas;
V –Comprovante da devolução dos recursos financeiros não aplicados;
VI – Comprovação e Prestação de Contas Anual da aplicação dos recursos recebidos nos moldes das Instruções do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, até 31 de janeiro do ano subsequente, dos recursos repassados durante o exercício anterior;
 
VII – Cópia do balanço ou demonstração de receita e despesas, com indicação dos valores repassados pelo órgão concessor e a juntada da respectiva conciliação bancária, referente ao exercício que o numerário foi recebido;
VIII –Certidão expedida pelo Conselho Regional de Contabilidade – CRC comprovando habilitação profissional do responsável pelas demonstrações contábeis;
IX – Os documentos originais de receitas e despesas vinculados ao ato concessório, referentes à comprovação da aplicação dos recursos próprios e/ou repassados por ente público, depois de contabilizados, ficarão arquivados na entidade beneficiária.
 
Art. 5º. –A Entidade compromete-se a restituir, no prazo de 30 (trinta) dias, os valores repassados pelo Município, a partir da data de recebimento da notificação, nas seguintes hipóteses:
I – Inexecução do objeto do projeto, de acordo com as especificações no Plano de Trabalho;
II – Utilização dos recursos financeiros em finalidade diversa da estabelecida.
 
Art. 6º. – As despesas decorrentes da execução da presente Lei correrão a conta de dotações próprias consignadas no orçamento vigente.
 
Art. 7º. – Essa Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogando as disposições em contrário.
 
 
PREFEITURA MUNICIPAL DE MANDURI
EM 09 DE DEZEMBRO DE 2014.
 
 
PAULO ROBERTO MARTINS
PREFEITO MUNICIPAL
 
 
 
Publicada e registrada na Secretaria Administrativa da Prefeitura, na data supra.
 
 
 
 
                                   RONALDO ADÃO GUARDIANO
                                Diretor de Governo e Gestão Pública       
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Voltar